Petrobras ou Carvãobras: olhar para trás ou olhar para a frente?

Será que o Brasil deveria privatizar a Petrobras? Quase todos os políticos dizem que não e isso já é um motivo para pensar que é uma ótima ideia. Nas campanhas eleitorais passadas, vi que o Serra, o Alckmin e o Aécio, além da Dilma e do Lula, disseram que a Petrobras era “IN-TO-CÁ-VEL !!!”; que era patrimônio do povo brasileiro. Sinceramente, você acredita que a Petrobras seja patrimônio seu? Ou você- como eu – acha que está pagando na gasolina uma taxa para manter essa empresa estatal viva…

Na verdade, penso que se o Governo brasileiro (especialmente um governo estatizante como o atual) pudesse ele criaria uma nova estatal chamada CARVÃOBRAS. Seria mais uma grande chance de arranjar emprego para os amigos e fazer aquilo que ele faz como nenhum outro governo da história desse país: corrupção sistêmica!

br-cb

Mas voltando ao tema: por tudo o que tem ocorrido com a Petrobras, já me parece que temos um excelente motivo para privatizá-la, sem dó e nem piedade. Por que os brasileiros – que nunca se sentiram “donos da Petrobrás” – iriam se opor à privatização tendo a clareza de que o governo de plantão usa e abusa dela, como se fosse sua propriedade particular? Por que se oporiam a privatização de uma empresa, que deveria estar no negócio ENERGIA mas que não consegue ir além do PETRÓLEO? Sim, energia inclui o Sol, o Vento e outras fontes, além do antiquado Petróleo que está com os dias contados.

Pergunte a qualquer brasileiro na rua se ele prefere que o dinheiro dele seja investido no “pré-sal” ou se ele prefere que todo o dinheiro seja investido em “saúde pública” ou em “Educação”? Alguns diriam que deveríamos ter um Ministério da Saúde sério e durável, com um Plano para 20 anos; Que poderíamos até mudar o presidente da república, mas teríamos que manter o Plano para a Saúde ou de Educação sendo construído a longo prazo e com seriedade, sem interrupções polítiqueiras. Tenho uma convicção de que os brasileiros preferem Saúde e Educação ao Petróleo e à Corrupção.

A Petrobras e todas as empresas da Era do Petróleo, incluindo toda a indústria automobilística, deveriam ser multadas pelo grande desastre ambiental do mundo, chamado aquecimento global. Eles são ainda muito fortes mas representam apenas o olhar para trás, o olhar para o passado, o atraso…
Se fôssemos olhar par ao futuro, seguiríamos o caminho já aberto pela Europa. Os países europeus liderados pela Alemanha, assumiram o compromisso de mudar a sua matriz energética até 2020, adotando Energia Solar e Eólica e criando condições para que cada estabelecimento e cada residência possa ser transformada em uma Estação de Produção de Energia.

É preciso repetir para fixar: cada residência e cada estabelecimento poderá tornar-se uma Estação de Produção de Energia. Já imaginou? Cada casa, cada comércio, cada shopping center – ao invés de ser apenas consumidor de energia de uma grande e monopolística empresa de distribuição – seria então uma Usina de Produção, uma produtora de energia. Mas com tantos “pequenos produtores de Energia” haveria um volume alto e os preços cairiam, isso é bom ou ruim? Seria muito ruim… para as grandes empresas que hoje são monopólios de distribuição de energia, além dos monopólios de produtores, como as grandes usinas que precisam ser construídas e geram muita grana e muita corrupção…

Bem, se minha casa, a sua, a loja da esquina , enfim todos nós – além de consumir energia fôssemos também produtores de energia – todos nós iríamos vender nosso excedente para nossos vizinhos ou para uma rede de distribuição que cuidaria de equilibrar consumo e produção. Deveríamos ter um equipamento para fazer tanto “download” de energia , quanto para fazer ”upload” da mesma. Ou seja, ao invés de uma rede que apenas distribui para o consumo, teria que haver uma rede de mão dupla, por onde receberíamos energia, mas também enviaríamos energia e ficaríamos com crédito na Rede. Isso é o que já está sendo chamado de Internet da Energia.

A Europa já está trilhando esse caminho desde os primeiros anos deste século XXI e tem metas para chegar lá. Enquanto isso aqui no Brasil apenas olhamos para o passado, para o Petróleo . Enquanto aqui no Brasil ficamos com políticos com visão e ideologia do início do século XX, insistindo em falar mal dos ricos e se servir dos pobres e do dinheiro público, sem nada fazer para levar o Brasil a uma visão mais evoluída e menos retrógrada. Eu – e todos os brasileiros, creio – gostaríamos deixar de ser apenas consumidores de energia. Creio que queremos sair da ponta da rede atual, que é de “mão única” e nos mantém a todos reféns da grande energia centralizada e cara.

Nossos políticos estão todos pensando no futuro como se ele fosse uma precária visão do passado. E eles bem sabem que petróleo precisa ser substituído com urgência… Junto com a trilionária indústria do Petróleo deveriam também ser extintas a produção de automóveis e caminhões que só funcionam com petróleo… Se deixarmos nossos políticos apresentar seus projetos e decidirem por nós, então estejamos preparados para o pior: Talvez eles aceitem privatizar a Petrobras desde que possam criar mais uma estatal, a Carvãobras!

São duas grandes questões: uma é que devemos fazer algo para acelerarmos o fim do uso do petróleo; e a outra é que devemos repensar as redes de energia, de centralizadas e focadas apenas na distribuição, para um modelo descentralizado e de regulação colaborativa, com todas as pessoas físicas e jurídicas, tendo papel ativo na produção e fornecimento.

Só assim estaremos olhando para o futuro e estaremos criando a Internet da Energia, condição fundamental para depois chegarmos a Internet das Coisas. Enfim, é isso: Queremos a privatização da Petrobras e queremos um projeto para o futuro de um Brasil para os brasileiros. Devemos investir num projeto de leveza estatal, privatizando o máximo de empresas e exigindo que o Estado Brasileiro cumpra seu dever de investir nas tarefas básicas para cumprir seu dever com o povo: investir em Educação, Saúde e Segurança. Fora a Petrobras e muito cuidado qualquer proposta que nos remeta à criação da Carvãobras.

PS: Do ponto de vista de BRANDING o nome Petrobras é algo bastante ruim, porque ele remete ao significado de Petróleo (que é o Produto atual da empresa) mas não é o negócio da empresa. Theodore Levit em sua sabedoria, diria que a Petrobras “pensa” que está no negócio de Petroléo, mas na verdade ela está no negócio de Energia. Ou deveria estar, pois criar “naming” baseado apenas no negócio atual é Miopia, já que o nome da Marca deveria refletir tanto a essência do negócio atual quanto os negócios futuros. E isso é facilmente provado quando olhamos para a coisa ridícula que foi a campanha do ETANOL PETROBRAS. “Ei, coleguinhas de trabalho do Cerveró: Aprendam que ETANOL não tem nada a ver com PETRÓLEO! Não combina,” não orna!”.

etanol

____________________________________________________________________________________________________________________________

Texto de: Augusto Nascimento, consultor de Branding e Marketing da Innovax-BBI Consultoria, do Grupo BBI. Ficam autorizadas cópias para fins de divulgação um-a-um (exceto publicação), desde que citado este site como fonte, bem como o autor do artigo. Para contatar o autor, ligue para (11) 2338.4939 ou então envie mensagem através do formulário deste site.