Ler bons livros de negócios é como trocar ideias com grandes autores.

1- Os Livros de negócios e meus diálogos com grande autores.

Gosto muito de ler livros. Especialmente livros práticos e livros de negócios, pelo que eles ensinam sem ter a pretensão de serem donos da verdade. Por isso, não perco muito tempo com livros teóricos e acadêmicos, aqueles que afirmam a verdade absoluta das coisas. Prefiro livros práticos que tratam de vivências e visões sobre negócios.

Leio uma média de quatro a seis desses livros por mês. Mais ou menos setenta livros por ano. Mas não tenho absolutamente nenhum orgulho dessa quantidade, até porque eu gostaria de ler bem mais. E se eu pudesse certamente o faria, pois há tanta coisa boa para ler, tanto autor genial com quem aprender, que uma vida apenas não será o suficiente.

O que eu mais gosto da leitura desses livros é que sinto-me dialogando com os autores. Livros bons são bem diferentes de revistas e jornais, onde todo o conteúdo é produzido por várias pessoas e muito editado, perdendo o frescor das ideias de uma pessoa pensante.
Eu gosto dos livros porque sinto neles a profundidade das ideias e visões dos autores, coisa que nas revistas e jornais não passa de um nível meramente superficial.

Ler é um passo importante para o aprender. Os livros trazem ideias completas e profundas de pessoas como eu e você, que pensaram, experimentaram e então registraram suas experiências e visões. Esse conhecimento humano está ali, registrado e pronto para que você o apreenda. Para que você aprenda e transforme a si próprio, testando e aplicando a mesma técnica, o mesmo conceito ou a mesma prática.

2- Ler não é algo natural para o ser humano. É uma disciplina que se aprende.

Há pessoas que dizem que não gostam de ler. Há outros que dizem que ler é difícil e que se sentem mal em não ler o quanto  gostariam ou deveriam.
O fato é: LER NÃO É UMA COISA NATURAL para nenhum ser humano!

Eu realmente concordo com aqueles que dizem que ler não é um coisa simples e nem fácil. Afinal, não é mesmo uma coisa natural e nem espontânea.  Ler exige alguma aprendizagem, algum método, coisa que, depois que se aprende, pode até virar um hábito, uma disciplina.

Para conquistar essa disciplina, eu sugiro ler  o livro “A ARTE DE LER”, de Montimer J. Adler, lançado no Brasil pela Editora AGIR nos anos 80. Você pode baixar este livro gratuitamente pelo link:

http://lelivros.black/book/baixar-livro-a-arte-de-ler-mortimer-j-adler-em-pdf-epub-e-mobi/

Mortimer Jerome Adler foi escritor e professor na Columbia College da Universidade de Columbia. Escreveu “A ARTE DE LER”, COMO LER LIVROS e ARISTÓTELES PARA TODOS. Fez a seleção dos 100 Maiores Livros de Todos os tempos e lançou-os pela Enciclopaedia Britânnica, que foi a base da criação da Great Books Fundation. Obteve grande reconhecimento nos EUA e no Mundo, tendo sido inclusive capa da Revista Time.

Mortimer Jerome Adler foi escritor e professor na Columbia College da Universidade de Columbia. Escreveu “A ARTE DE LER”, COMO LER LIVROS e ARISTÓTELES PARA TODOS. Fez a seleção dos 100 Maiores Livros de Todos os tempos e lançou-os pela Enciclopaedia Britânnica, que foi a base da criação da Great Books Fundation. Obteve grande reconhecimento nos EUA e no Mundo, tendo sido inclusive capa da Revista Time.

Eu tive a felicidade de aprender a ler com um professor que dominava o método de Adler e que me ensinou. Que presenteou-me com o livro de Adler e pediu que eu lesse e relesse o mesmo várias vezes. Isso foi muito forte e ajudou-me a ser o leitor que sou.

No  livro “A ARTE DE LER” (grátis, repito) você vai conhecer OS QUATRO NÍVEIS DE LEITURA:
Leitura Elementar:  É o nível mais simples de leitura e é a forma como a maioria das pessoas e como as crianças pequenas normalmente começam a ler. Pega-se o livro e começa a lê-lo desde o começo para o final. Se a pessoa acha o texto  difícil, acaba abandonando a leitura. Por isso, Adler recomenda  ter consciência desse nível elementar e simplista, que leva à má leitura e ao abandono da mesma.  Ele propõe substituir essa leitura elementar por um método de três etapas: Leitura Inspecional, Leitura Analítica e Leitura Comparada ou Sintópica.

Leitura Inspecional – É quando você inspeciona um livro para apreender coisas importantes sobre ele. Neste caso você lê o sumário, lê as orelhas, lê alguns trechos e então, depois dessa pré-leitura inspecional, você decide se vai fazer sua leitura ou não. É algo parecido com aquilo que fazem os Bibliotecários: eles conhecem qualquer livro sem lê-lo, apenas inspecionando-o para saber do que ele trata.

 Nível de Leitura Analítica Quando você, após fazer a Leitura Inspecional, decide ler o texto completo do livro, de modo corrido e então, já com uma compreensão ampla, faz a leitura analítica e completa do texto, de ponta a ponta;

Leitura Comparada ou SintópicaNeste caso, você já entende que seu objetivo não é ler apenas livros, mas sim ler sobre TEMAS QUE SÃO DE SEU INTERESSE e então passa a LER VÁRIOS LIVROS de modo comparativo sobre os TEMAS QUE  SÃO DE SEU INTERESSE.

O livro de Adler é uma maravilha, que vale a pena ser lido para que se aprenda a ler direito e aproveitar a leitura. Ele tem muita coisa boa: como ler romances, como ler peças de teatro, como ler livros científicos e muito mais. É um livro que todos deveriam não apenas ler, mas estudar e aprender, pelo menos sete vezes na vida.

3- Os Livros práticos de Claude Hopkins, John Caples e Peter Drucker são mais que livros. São parte da Educação que cada um deve buscar para si.

Há alguns livros de negócios que viraram clássicos e que, por isso mesmo, todas as pessoas deveriam lê-los. E se você procura ler como eu proponho nesse artigo, então se sentirá conversando com grandes autores, muito além do limite imposto pelo tempo de  vida desses autores. Três dos gigantes da litertura prática de negócios são Claude Hoppinks, John Caples e Peter Drucker.

Sinceramente, eu me sinto dialogando com eles em cada leitura de seus livros.  Faço perguntas a cada um deles durante a leitura e tento imaginar o que eles responderiam. Acabo descobrindo novos insights. Do mesmo modo converso com Peter Drucker, o pai da administração sobre sua fala escrita de que:  “do lado de dentro das empresas, existem apenas custos. As receitas, os ganhos, os lucros estão todos do lado de fora da empresa”. Drucker impõe uma profunda reflexão sobre a importância e o valor da prospecção e das vendas.

O mais famoso livro de Drucker é “Administração, Tarefas, Responsabilidades e Práticas”. Veja que não há nada pretencioso ali. Drucker se propõe a escrever sobre Tarefas, sobre Responsabilidades e sobre Práticas, mas nadinha de Teoria. Nada de acadêmico ou científico.

Peter Drucker escreveu 39 livros. Seu livro “ADMINISTRAÇÃO, RESPONSABILIDADES, TAREFAS E PRÁTICAS” é considerado a obra máxima da literatura mundial sobre Administração de Empresas e foi lançado em 3 volumes. Recentemente foi relançado com o título “GESTÃO MANAGEMENT”. Mas o seu livro mais famoso entre gerentes e executivos é “O GERENTE EFICAZ” que praticamente ajuda as pessoas a se tornarem mais produtivas.

Peter Drucker escreveu 39 livros. Seu livro “ADMINISTRAÇÃO, RESPONSABILIDADES, TAREFAS E PRÁTICAS” é considerado a obra máxima da literatura mundial sobre Administração de Empresas e foi lançado em 3 volumes. Recentemente foi relançado com o título “GESTÃO MANAGEMENT”. Mas o seu livro mais famoso entre gerentes e executivos é “O GERENTE EFICAZ” que praticamente ajuda as pessoas a se tornarem mais produtivas.

Vejo então a possibilidade de ler e dialogar com Claude Hopikns, publicitário atuante entre o século XIX e o século XX, que praticamente criou o hábito de escovar os dentes na América e no mundo, transformando a Pepsodent numa das primeiras marcas de consumo diário do século XX.

CLAUDE HOPKINS foi um dos mais famosos criativos de propaganda, da época em que a propaganda mal começava a existir no final do século XIX e começo do século XX. Seu livro “A CIÊNCIA DA PROPAGANDA” – que nada tinha de científico – ainda é um manual prático de propaganda válido para os dias de hoje.

CLAUDE HOPKINS foi um dos mais famosos criativos de propaganda, da época em que a propaganda mal começava a existir no final do século XIX e começo do século XX. Seu livro “A CIÊNCIA DA PROPAGANDA” – que nada tinha de científico – ainda é um manual prático de propaganda válido para os dias de hoje.

O livro principal de Hopkins tem o título de “A CIÊNCIA DA PROPAGANDA”, mas asseguro a você que é um livro prático e não científico. É um livro que dá todas as dicas técnicas de como construir ótimos argumentos. Dizem que Hopkins deu o título de “A Arte e a Técnica Eficaz de Propaganda”, mas seu editor o convenceu de chamá-lo de “A Ciência da Propaganda” porque, na época, os Estados Unidos viviam um momento singular na História onde tudo o que era baseado em Ciência, chamava mais atenção e vendia mais. E ainda havia um fato: a publicidade ainda não era considerada uma profissão séria, de modo que o nome “A Ciência da Propaganda” dava um “tom de seriedade” ao conteúdo .

E, por fim, imagino-me conversando com John Caples, um dos mais bem pagos redatores e criadores de propaganda da primeira metade do século XX.

JOHN CAPLES foi também um famoso redator ou criativo de propaganda, que atuou um pouco depois de Hopkins, ainda na primeira metade do século XX. Foi um dos mais bem pagos redatores da sua época. Criou métodos para Testar a Eficácia Publicitária e escreveu vários livros. Ajudei a traduzir e lançar no Brasil o seu livro “COMO FAZER A PROPAGANDA FAZER DINHEIRO” pela Makron Books.

JOHN CAPLES foi também um famoso redator ou criativo de propaganda, que atuou um pouco depois de Hopkins, ainda na primeira metade do século XX. Foi um dos mais bem pagos redatores da sua época. Criou métodos para Testar a Eficácia Publicitária e escreveu vários livros. Ajudei a traduzir e lançar no Brasil o seu livro “COMO FAZER A PROPAGANDA FAZER DINHEIRO” pela Makron Books.

Caples escreveu vários livros e foi um dos primeiros criativos a estruturar métodos para avaliação da eficácia da Propaganda.  Aqui no Brasil, lançamos o seu clássico “HOW TO MAKE YOUR ADVERTISING MAKE MONEY” com o título em português “ COMO FAZER SUA PROPAGANDA FAZER DINHEIRO”.  Caples, assim como Hopkins, como Drucker e também como David Ogilvy – todos eles escreveram sobre PRÁTICAS e não sobre ciência ou teoria. E centraram seus escritos em termos de contribuição para A MELHORIA DOS RESULTADOS DOS NEGÓCIOS. Assim, ao invés de “verdades científicas” você encontra nesses autores muita humildade e humanidade. Você pode dialogar com eles e ter seu conhecimento ampliado.

Mas é possível  também conversar com Aristóteles e Platão. Neste caso, pensaríamos sobre o conceito de Essência, Substância e Aparência do primeiro e buscar aplicações desse conceito nas minhas práticas. Talvez não dê em nada, mas talvez dê algo totalmente novo.  De Platão, podemos pegar a ideia de Mundo Ideal e Perfeito, do Idealismo, versus Mundo Real e Concreto do Realismo. Noutros termos, isso é um esforço prazeroso de buscar o conhecimento humano e tentar trazê-lo para a melhoria do nosso dia-a-dia.

Para mim, tem sido assim ao longo dos últimos 30 anos, quando comecei a selecionar livros para a minha biblioteca pessoal. Hoje são pouco mais de 10.000 exemplares, ou cerca de 8.000 autores aproximadamente. Considero um grande privilégio ter esses 8.000 autores em minha sala e poder exercitar esse tipo de conversa e aprofundamento reflexivo a partir daquilo que eles generosamente registraram e deixaram para a humanidade.

Fica aqui minha sugestão de Leitura e Diálogos com Drucker, Hopkins e Caples. Isso é a mais pura Educação.

E veja: entendo que a Educação é muito mais que a Escolarização. Escolarização é o que tentam te ensinar e Educação é o que você decide aprender. A Escolarização é algo que te enfia conteúdos “goela” abaixo, enquanto a Educação é ligada a sua própria busca e crescimento pessoal. Não consigo pensar em Educação sem Livros e sem grandes autores para podermos dialogar. Para mim, a Educação é a busca de crescimento intelectual e moral. É o convívio com grandes livros e grandes autores.

Se você é professor, pai ou mãe, saiba que um dos seus maiores trabalhos educativos será criar amor aos livros e aos autores. Ensine a tantos quantos puder o amor aos livros e autores e estará construindo pessoas melhores e um mundo melhor.

____________________________________________________________________________________________________________________________

Texto de: Augusto Nascimento, consultor de Branding e Marketing da Innovax-BBI Consultoria, do Grupo BBI. Ficam autorizadas cópias para fins de divulgação um-a-um (exceto publicação), desde que citado este site como fonte, bem como o autor do artigo. Para contatar o autor, ligue para (11) 2338.4939 ou então envie mensagem através do formulário deste site.