A marca Jesus e como Neymar está sendo usado pela marca 100% Jesus

1 – NEYMAR é religioso! NEYMAR é idiota! Neymar está sendo usado!

Em 2015 quando o Barça venceu o Juventus por 3 a 1, o craque brasileiro Neymar usou uma faixa na cabeça com a mensagem “100% Jesus” e as TVs do mundo todo documentaram o fato.

Depois, no Prêmio dos Melhores da FIFA, foi exibida uma filmagem onde Neymar aparecia na mesma cena, mas desta vez sem a mensagem 100% Jesus. A faixa apareceu totalmente branca. Ela foi cuidadosamente apagada e retocada pela FIFA para não ferir nenhum princípio de patrocinadores e nem de favorecimento de uma ou outra religião.

1

Na época a mídia comentou várias coisas “que era direito do Neymar manifestar a sua crença”; “que ele não tinha o direito de tentar impor a sua religião”; “que ele estava sendo idiota e babaca”.  Eu sinceramente penso que Neymar estava, e está ainda, sendo usado por gente com intenções nada religiosas.

Algum tempo se passou até que chegaram as Olimpíadas do Rio de Janeiro de 2016. Lá Neymar e os meninos do Brasil fizeram um grande e bonito trabalho dentro de campo e recuperaram um pouco da dignidade do futebol brasileiro. Ganharam, merecidamente, a medalha de ouro, que a Seleção Olímpica sempre aspirara e nunca conseguira obter, e novamente Neymar usou a tal faixa na cabeça, com a mensagem “100% Jesus”.

Houve até uma situação constrangedora e lamentável, na qual Neymar (com a tal faixa na cabeça) agrediu verbalmente um torcedor, resultando em um enorme bochicho na mídia, com comentaristas a favor e contra o ocorrido com Neymar.

2

Mas eu continuei pensando que Neymar estava – e ainda está – sendo usado por gente com intenções nem um pouco  religiosas…

O Comitê Olímpico Internacional reclamou do uso da faixa e os jornais e portais repetiram as posições pró e contra, chegando ao ponto de até a mãe de Neymar dar uma entrevista dizendo que aquilo “não era nada de mais, afinal há muito tempo que jogadores de futebol usam a mensagem a favor de Deus e de Cristo”, e de fato, faz bastante tempo que atletas se posicionam diante da religião, muitos inclusive se dizem fazer parte dos “Atletas de Cristo” no Brasil.

Me pergunto: Será mesmo que não é nada de mais?

3

2 – A marca Jesus: De onde ela veio e como vem sendo usada.

Lembro de minha mãe dizendo aos quatro filhos “Nunca usem o nome de Deus, de Maria, de José e de Jesus em coisas banais”. Esses nomes, ensinava minha mãe, “são nomes Santos, Sagrados” e não devem ser usados com coisas terrenas, não devem ser usados de modo desrespeitoso e nunca devem ser usados para enganar ninguém. Minha mãe era religiosa e seguia aqueles princípios com rigor.

Ela nos falou sobre o Anno Domini, quando o mundo passou a contar os anos em A.C. e D.C. (Antes de Cristo e Depois de Cristo) e fez de Jesus uma figura sempre presente na nossa infância e da nossa educação. Aprendi que havia cinco momentos de Jesus que eram os “clássicos”, e que se tornaram “ícones para o imaginário” de todos os católicos cristãos: 1 – O menino Jesus; 2 –  O Jesus da Santa Ceia; 3 – O Jesus crucificado; 4 – O sagrado coração de Jesus; e o 5 – Jesus ressuscitado.

4

Estas imagens foram muito fortes na minha infância e minha mãe dizia que devíamos respeitar Jesus acima de tudo. Meu pai, em sua fina ironia, dizia “respeitem Jesus e tomem muito cuidado com o padre. Ele não é Deus”, ou seja, fui educado com a fraternidade da minha mãe e a visão crítica do meu pai e isso me acompanha por toda a vida.

3 – O Guaraná Jesus. Minha mãe ficaria escandalizada com ele…

Quando comecei a trabalhar com marketing e publicidade nos anos 70, conheci o produto Guaraná Jesus, que no Maranhão ganhava em vendas tanto o Guaraná Antarctica quanto a Coca-Cola.

Num primeiro momento achei que era abuso um refrigerante usar o nome Jesus, mas o nome fez sentido quando eu soube que ele fora criado em 1920 por um farmacêutico chamado Jesus Norberto Gomes. Curiosamente, o Jesus Norberto não era nada religioso; era inclusive um ateu convicto e, como ele mesmo dizia, de Jesus só tinha o nome.

Tal qual a Coca-Cola, o produto dela era um projeto de remédio que não deu certo, mas que havia agradado demais aos netos de Jesus e deste modo, Jesus Norberto decidiu fabricá-lo e comercializá-lo tal qual a Coca-Cola, e deu muito certo.

5

O farmacêutico Jesus faleceu em 1963 e em 1980 a marca Guaraná Jesus foi vendida pela família à companhia maranhense de refrigerantes, que já era engarrafadora da Coca-Cola local e que já em 1981, passou a engarrafar o refrigerante Jesus. Em 2001, a The Coca-Cola Company adquiriu definitivamente os direitos sobre a marca “Guaraná Jesus” e até hoje ele continua sendo promovido e distribuído com muito sucesso, em todo o estado do Maranhão.

6

4 – NEYMAR também é Marca! E Neymar está sendo usado pela marca 100% Jesus.

Já ouvi que “100% Jesus“ não é uma marca, que é apenas uma espécie de movimento espontâneo que surgiu entre atletas e artistas que buscam agradecer pelas graças obtidas em relação ao sucesso conseguido na profissão. Neste caso, Neymar e outros tantos jogadores de futebol estariam apenas “exercendo o seu direito de agradecer a Jesus” pelos seus feitos.

Este argumento, contudo, é muito ingênuo e não resiste a uma mínima busca no Google. Vou dizer de outro modo:  Há bastante gente interessada em PROMOVER a marca 100% Jesus e muito interessada em GANHAR DINHEIRO com ela. Parece que esta gente está conseguindo envolver esportistas e artistas em seu intento e também está conseguindo que astros do esporte e da musica atuem promovendo os seus próprios interesses. Quer evidências?  Pois bem, então saiba que a marca 100% Jesus surgiu em 2009.

Entre os produtos da empresa estão:

Água mineral 100% Jesus.
Refrigerantes 100% Jesus.
Seguros 100% Jesus.
Cartão de Crédito 100% Jesus.

E novos produtos estão com lançamentos previstos.
A imprensa inclusive já escreveu que há um vínculo forte entre a marca 100% Jesus e algumas igrejas evangélicas.

7

Os jogadores de futebol, especialmente o Neymar (que supostamente tem uma boa assessoria) deveriam verificar este tipo de conexão para evitar que seus nomes, e conseqüentemente suas próprias marcas pessoais, sejam utilizadas indevidamente.

Há dois comerciais para TV da marca 100% Jesus:

 

Um é voltado ao consumidor final, com publicidade da “Água 100% Jesus” e outro é voltado para o canal de vendas, para distribuir a “Água 100% Jesus”.

8

Há alguns websites que se dizem oficiais da “100% Jesus” e há um blog da marca “100% Jesus” que tem várias mensagens de produtos. Neymar é o grande destaque, com a famosa faixa na cabeça e com a marca exposta, a um imenso público em todo o mundo, via televisão e internet.

Ainda bem que não nada demais, não é mesmo? É só uma mensagenzinha de nada, a favor de uma religião, sem nenhuma maldade e sem nenhuma intenção de se aproveitar da credulidade de milhares de pessoas.

Como dizia minha mãe: Não se deve usar o nome de Jesus em coisas assim! 
E eu completo: nem nome, nem marca!

Me parece um desrespeito total com dois mil anos de história e fraternidade cristã.

__________________________________________________________________________

Texto de: Augusto Nascimento, Consultor de Branding e Marketing da Innovax-BBI Consultoria, do Grupo BBI. Ficam autorizadas cópias para fins de divulgação um-a-um (exceto publicação), desde que citado este site como fonte, bem como o autor do artigo. Para contatar o autor, ligue para (11) 2338.4939 ou então envie mensagem através do formulário deste site.